5/28/2009

Há sempre uma ferida


Há sempre cicatrizes que perduram...a dor, e o silêncio








entre a saliva e os sonhos há sempre
uma ferida de que não conseguimos
regressar

e uma noite a vida
começa a doer muito
e os espelhos donde as almas partiram
agarram-nos pelos ombros e murmuram
como são terríveis os olhos do amor
quando acordam vazios

Alice Vieira

2 comentários:

Moonlight disse...

Eternus
Obrigada pela sua visita,espero encontra-la sempre que desejar.
Gostei de conhecer seu blog,sempre que possivel voltarei.
Quanto ao seu post,as palavras que aqui encontro são sem duvida alguma bem certas.Quando os olhos acordam vazios de amor...não existe nada que os faça brilhar...

Um bj cheio de luar

secrets in me disse...

Então porque tentar regressar...se doer...chorar é a solução mas não por muito pouco tempo.
Levantemos a cabeça seguindo em frente...viver o que de bom nos aparece na vida!
Sentir cada segundo desses momentos como se fossem os últimos.
O tempo fará o resto...novas emoções a recordações tomaram conta daquele que outrora amou alguem, mas que se levantou num voar sem regresso ao passado.
Onde os espelhos agora murmuram somente poesia ao sabor de desejos controlados unicamente pela vontade de viver...de ser feliz!


secrets in me

beijinho secreto...nosso!